O que é Open Banking e porque LGDP?

Na tradução literal Open Banking = Banco Aberto, também chamado pelo Bacen de Sistema Financeiro Aberto. Vou explicar.

Em outras palavra é um sistema bancário aberto, em que IFs, Fintechs e financeiras podem compartilham dados dos clientes eletronicamente.

O principal objetivo, é simples, expandir as opções disponíveis para o consumidor e dar mais liberdade e agilidade no compartilhamento de suas informações financeiras.

A tecnologia utilizada para este compartilhamento é chamada de API, sigla de ‘Application Program Interface’ e que sejam APIs abertas – ou seja, ter esta tecnologia disponível para formentar a criação de um ecossistema de produtos e serviços financeiros. Claro, tudo isto de forma segura.

No Brasil, o Banco Central já começou a discutir este movimento e até compartilhou uma agenda para 2021.

Bacen e Regulação

Na Prática

Open Banking são APIs abertas que estão disponíveis para serem utilizadas por qualquer um. Um exemplo de APIs abertas, podemos considerar o Google Maps.

Os famosos ‘Social Logins’, que permitem o login em aplicativos e serviços utilizando acessos já existentes de alguma rede social. É quando faz login em algum novo aplicativo ou sistema, e utiliza suas credenciais (email / senha) do Facebook, por exemplo.

A proposta aqui é que o mercado financeiro tenha um modelo único de APIs abertas.

Vantagens

  • Liberdade
  • Menor Custo / Maior Eficiência / Melhor Experiência
  • Mais Competição / Concorrência

LGPD

Lei Geral de Proteção de Dados, deve entrar em vigor este ano (2020) e, basicamente, estabelece normas sobre como as empresas coletam, processam, armazenam e destroem dados pessoais e sensíveis de seus clientes e usuários, com objetivo de melhorar a privacidade destas informações.

Ou seja, quando o Open Banking, entrar em vigor, as regras da LGPD já estarão em funcionamento, portanto, o compartilhamento de dados deverá se basear no uso autorizado, e explicito, do cliente, que poderá, a qualquer momento suspender esta autorização.