IA prevê o progresso de doenças neurodegenerativas

Avaliar a eficácia das terapias para doenças neurodegenerativas é muitas vezes difícil porque a progressão de cada paciente é diferente. Um novo estudo mostra que a análise de inteligência artificial (IA) de amostras de sangue pode prever e explicar a progressão da doença, o que pode um dia ajudar os médicos a escolherem tratamentos mais adequados e eficazes para os pacientes.

O algoritmo foi capaz de detectar como os genes desses pacientes se expressaram de maneiras únicas ao longo de décadas. Isso oferece a primeira visão de longo prazo das mudanças moleculares subjacentes à neurodegeneração, uma conquista importante porque as doenças neurodegenerativas se desenvolvem ao longo dos anos.

Os resultados foram publicado na revista Brain, 28 de Jan 2020.

Link para a publicação.

Essencialismo

A sabedoria da vida consiste em eliminar o que não é essencial.

Lin Yutang

Assim começa o livro Essencialismo.

Essa leitura é essencial par quem, assim como eu, tem dificuldades para dizer não.

Li o livro com o objetivo de entender a raiz comum de muitos problemas de produtividade e me deparei com, o que o autor chama de, Paradoxo do Sucesso. Em outras palavras, a busca pelo sucesso passa a ser um catalizador do fracasso.

Porque?

Em algum momento, queremos nos destacar, crescer na carreira e nos tornar referência. Para isto, estamos sujeitos a aceitar qualquer desafio que nos é proposto, mesmo que não estejam alinhados com nossos objetivos e quando percebemos nos deparamos com todo nosso tempo produtivo sendo consumido por atividades que nos afastam do nosso objetivo.

Aqui vem a falsa sensação de sucesso, porque você pode evoluir um pouco em todas as direções, mas como não tem ‘foco’, não avança de forma significativa em nenhuma direção.

Aqui um ponto importante, você tem claro quais são seus objetivos? (recomento o livro The Code of the Extraordinary Mind: 10 Unconventional Laws to Redefine Your Life and Succeed on Your Own Termslink)

A filosofia do livro é dividida em 4 fases:

  1. Essência – aqui ele descreve qual é a mentalidade básica do especialista;
  2. Exploração – como identificar o que é trivial do vital;
  3. Eliminação – excluir as coisas triviais;
  4. Execução – foco no que é vital – quase sem esforço!;

Menos, mas melhor.

As três palavras mágicas do livro.

Só quando nos permitimos parar de tentar fazer tudo e deixar de dizer sim a todos é que conseguimos oferecer nossa contribuição máxima àquilo que realmente importa.

Greg McKeown

Boa Leitura.

Livro: Essencialismo, A disciplinada busca por menos de Greg McKeown

Equipes Brilhantes

Já se perguntou porque algumas equipes, mesmo sem ter as melhores ‘cabeças’, os melhores recursos, os melhores ambientes etc… se destacam?

Quais são as condições necessárias para se ter uma equipe ‘brilhante’?

Esta é pergunta que Daniel Coyle tenta responder.

De forma resumida, equipes brilhantes necessitam de:

  1. Segurança
  2. Transparência (onde os membros compartilham vulnerabilidades)
  3. Propósito

SEGURANÇA

Não se cria segurança ‘apertando um botão’, ou seja, não acontece de forma mecânica ou instantânea, a construção é um processo e, portanto, demanda tempo.

Coyle define como ‘deixas de pertencimento’, são pequenas ações, comunicações não verbais, que passam segurança para o time.

Algumas dicas:

Preste atenção, e deixe isto bem claro para quem está falando;

O líder comete erros, ou seja, as fraquezas devem ser reveladas/compartilhadas; Aproveite para solicitar ativamente a participação de todos;

Não mate o mensageiro, abrace! O feedback é necessário.

Visualize as futuras conexões, compartilhe visões de onde o time pode estar no futuro.

Agradeça!, pode exagerar nos agradecimentos. Agradecimentos são deixas de pertencimento fortes de segurança, conexão e motivação.

Contrate sem pressa, ou seja, com seriedade!

Elimine as maçãs podres, ‘nada de cretinos’.

Crie espaços seguros e ricos em conexões.

Todos devem ter voz, garanta isto! Ou seja, da próxima vez que fizer uma reunião, todos devem compartilhar algo.

Recolha o lixo, passa o sinal de que ‘estamos juntos nisso tudo’;

Dê valor para os momentos de transição, Ou seja, quando um novo colaborador chega para seu grupo, valorize! Claro, tudo isto não vale só para o primeiro dia, vale para todos os dias, mas quem chega deve ser acolhido com especial atenção. Passar a mensagem de que independente do que ele foi antes, agora ele faz parte desta nova turma e todos estamos juntos agora.

Não, de forma nenhuma, feedback sanduiche, Ou seja, feedback é constante e aos poucos, nunca de uma única vez. Ele também cita casos onde o feedback, antes de ser passado, era perguntado para saber se o interlocutor quer receber o feedback.

Aproveite a diversão, ou seja, dê risadas!

TRANSPARÊNCIA

Se resume em compartilhar vulnerabilidades, contudo, você não faz isto da noite para o dia, requer repetição para ganhar ‘musculatura’, e, importante, disposição para sentir dor para conseguir resultados.

Dicas:

O líder é o primeiro a se mostrar vulnerável;

Repita as expectativas vária vezes;

Cuide dos assuntos negativos pessoalmente, ou seja, qualquer que seja a notícia negativa, faça você mesmo!

Ao formar novos grupos, concentre-se em dois momentos críticos: a primeira vulnerabilidade e o primeiro desentendimento.

Escute como se estivesse em um trampolim, ou seja, um bom ouvinte. (interagir e deixar o outro seguro, assumir posição prestativa, as vezes fazem perguntas e sugestões)

Durante uma conversa NÃO OFEREÇA SOLUÇÕES, ou seja, resista a esta tentação. Não se trata de você e sim do outro!

Adotar prática de honestidade – importante para quem faz a dinâmica de ‘retro’ para desenvolvimento em modelo Scrum. Faça as seguintes perguntas:

RETRO

  1. O que queríamos?
  2. O que conseguimos?
  3. O que provocou nossos resultados?
  4. O que faremos igual na próxima vez?
  5. O que faremos diferente?

PLANNING

  1. O que queremos?
  2. Quais desafios podemos antecipar?
  3. O que nós aprendemos de situações semelhantes?
  4. O que garantirá nosso sucesso?

Procure fraquezas e evite a sinceridade brutal, ou seja, feedback curtos, bem dirigido, menos pessoal, com pouco juízo de valor e de apenas um ponto por vez;

Aceite o desconforto, ou seja, não é fácil porque provoca dor emocional e sensação de ineficiência.

Alinhar linguagem com ação.

Avaliação de desempenho é diferente de desenvolvimento profissional, portanto trate separadamente.

Empregue a mentoria-relâmpago, ou seja, você ‘cola’ em quem você quer aprender, mas com duração de algumas horas.

Faça o líder desaparecer de vez em quanto, pratique isto! (em especial em momentos cruciais)

PROPOSITO

Para mim este é um dos pontos mais importantes, que muitas fezes são criados em momentos de crise.

Nomeie as prioridades em uma lista de importância.

Seja dez vezes mais claro, sobre as prioridades, do que você considera necessário.

Descubra onde seu grupo busca proficiência (fazer bem algo) e onde busca criatividade.

Adote frases de efeito.

Avalie o que realmente importa.

Utilize artefatos. (objetos que ajudam a identificar o propósito)

Equipes Brilhantes, Daniel Coyle. Recomendo!!!

IA vai auxiliar nos diagnósticos de saúde?

Somente se os médicos e profissionais da saúde entenderem os avisos.

Os algoritmos de inteligência artificial (IA) podem, e vão, ajudar a diagnosticar uma quantidade cada vez maior de problemas de saúde, mas para que este benefício seja percebido, nós humanos, precisamos ser treinados para ‘ouvir’ estes alertas.

Não basta alertar o médico de que determinado paciente está com alguma doença ou tem algum risco, sem informar os motivos que levaram o algoritmo a sugerir este aviso.

Segundo o artigo, além do motivo, também o momento e a forma como a informação chega para o médico são importantes.

Este é um ponto que os algoritmos de IA, e as aplicações para ele, ainda vão ter que melhorar.

Tecnologia por tecnologia não gera valor real, por isto a participação das pessoas no processo evolutivo da IA é fundamental.

Portanto, ‘testar em produção’ é a melhor maneira de entender melhor o ambiente e continuar evoluindo…

Veja a matéria completa.

Se você conhece alguma iniciativa de IA, voltada para saúde, aqui no Brasil, deixe seu comentário.

Fact Fulness

O mundo está piorando?

A maioria das pessoas acham que sim.

Já ouviu aquela pessoa fazer um comentário ‘…isto não acontecia na minha época…’ ou ‘…antigamente era muito melhor…’, mas será que estas pessoas sabem o que estão falando?

O objetivo deste ‘post’ é comentar sobre um livro que acabei de ler – “Fact Fulness, O hábito libertador de só ter opiniões baseadas em fatos” de Hans Rosling.

Este livro é sobre o mundo real e sobre como compreendê-lo, onde a maioria das pessoas tem uma visão estressante, enganadora e pessimista.

A parte mais intrigante são as 12 perguntas factuais que ele coloca, já no início do livro. Se você tem o hábito de ler ou acompanhar notícias sobre o mundo, vai se deparar com perguntas simples que certamente já saberá responder, contudo, avançando na leitura você percebe como, de fato, conhece pouco do mundo.

O autor descreve 10 (dez) capítulos sobre os ‘instintos’ que nos fazem enxergar o mundo diferente de como ele realmente é.

Cada instinto tem sua razão de existir e quando você tem o conhecimento de cada um, vai perceber que suas opiniões, sobre qualquer assunto, serão muito mais ricas e factuais.

Um livro muito gostoso e fácil de ler, recomendo para todos aqueles que gostam de melhorar seus argumentos em uma boa discussão.

obs: quase 12 mil pessoas responderam a pesquisa e somente uma, na Suécia, acertou 11 das 12 questões e 15% erraram todas as 12.

Não pare!

Blockbuster

A Blockbuster, começou em 1985 e em 2000 tinha 7.700 lojas, em 1989 as vídeo-locadoras eram o ‘negócio de muito futuro’ (segundo a PEGN de Fev/89).

Em 1997 a Netflix foi fundada, inicialmente para concorrer neste segmento, mas o serviço era de assinatura. E ela utilizava o correio para enviar os filmes.

Quem teve mais sucesso?

Netflix, de empresa de logística, passando por provedora de streaming, produtora de filmes/séries, sempre utilizando muito bem os dados e informações do comportamento dos seus clientes. Um exemplo é a nova opção de ‘Shuffle’ (Reprodução Aleatória), para dar aquela ajuda na escolha do que assistir e não perder muito tempo navegando entre as opções. (Inovação)

Nokia

O “rei dos celulares”em 2007. Nesta época a concorrente era a BlackBerry. Bastava acompanhar de perto a concorrência e sempre se manter no topo?

Errado. “O tiro veio de outro lugar”. A Apple, lançou no mesmo ano o iPhone, o resto da história vocês já sabem.

Em 6 anos a Nokia, na prática, desapareceu. (Previsibilidade)

E?

Além da falta de inovação, que faz com que a ‘agua pare de correr’, a previsibilidade que já não era fácil em 2007, imagina agora em um cenário pós pandemia (ou quase!)?

Portanto, se atualize, aprenda, seja inquieto porque se você não se mexer, vai ficar para trás.